Só.

"Algumas vezes eu fiz muito mal para pessoas que me amaram. Não é paranóia, não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheio de espinhos - e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressivo e tal. É preciso acabar com esse medo de ser tocado lá no fundo. Ou é preciso que alguém me toque profundamente para acabar com isso."


Caio F. Abreu



Estou me sentindo solitária.
O isolamento necessário que tive
há alguns meses acabou por me
distanciar de vários amigos.
Não que eles não fossem pessoas
maravilhosas, não. Apenas eles cansaram.
Cansaram de me ligar, de esperar eu chegar
nos lugares, de tentar me fazer ver que
ficar alimentando minha dor e olhando
pro meu umbigo não era bom.
E não foi. Hoje minha rotina é um trabalho
de 10hs por dia, larguei a faculdade (mas vou
entrar em outra. Sim, eu sou louca.Devia estar
me formando e vou iniciar jornalismo) e quando
olho minha agenda telefônica enorme não tem
ninguém que eu posso ligar e dizer:
- ei, me socorre aqui!
Não que os amigos só sirvam pra ombro, muito pelo
contrário, estou sentindo falta das tardes no
parque da Sementeira, dos risos largos, das chapações
infinitas, de cozinhar pra eles, de tudo, tudo.
Tenho sentido falta do meu celular tocar.
Sentido falta de ouvir o: - você vem?
E a vida toda sempre estive arrodeada de gente.
E daí? Se você mantém os laços frouxos eles se
soltam. Dizem que a felicidade está dentro de nós.
Eu concordo. Mas felicidade só é felicidade quando
compartilhada.

.

10 comentários:

Nina Sampaio disse...

Que texto bonito e como é verdadeiro! E prefaciado assim por Caio Fernando Abreu, então! Mas, ó: tem sim, viu, isso de:
- você vem?
É só aparecer lá em casa para aquela idéia de cozinhar algo que falamos quando saimos no dia de um jogo lá na época da copa e a gente ir fazendo, tecendo novos laços...
Sentia muito parecido quando vim morar em Aracaju e exatamente igual quando fui fazendo opções que me afastavam de pessoas amadas mesmo morando na mesma cidade...
Tati, Eder, Jadon, são três pessoas muito, muito queridas por mim e todos os três só falam boas coisas de você.
E só em termos nos visto apenas uma vez: sinto comprovadas as palavras dos três.
Bora acertar a comidinha em um dos apês, outras saídas...e de repente estamos todos nos socorrendo uns aos outros de choros ou de risos, mas juntos, né?
Abraços!

tatiana hora disse...

pois quando eu te conheci, eu pensei: que sorte encontrar essa pessoa no meu caminho! :)
e vamos mesmo marcar coisinhas legais, como Nina disse.
um cheiro

autofágica disse...

Nina, você recebeu minha mensagem né? E Tati, você é minha Amy :)

p.s:acho que estou muito emocional, ou na lingua do povo manteiga derretida. Vocês me fizeram ficar com o olhar marejado e acolhida como num abraço.
Beijo xuxus!(e vamos nos ver esse fds)

Ju disse...

Sei exatamente o que é sentir-se assim. Mas talvez seja o momento de você os procura-los não?
te espero.


Ju

Nina Sampaio disse...

Sim, sim recebi!Vão para o show do Wado hoje? Volto para Aracaju para ir para o show. Chego no começo da noite. Beijos.
Aqui na bicamp num dá para acessar orkut...Mais beijos...

autofágica disse...

Vou sim!
Nos vemos lá :]

Eder Malta disse...

Só nada. Tá junto de mim!

*)

autofágica disse...

Ow #)

João disse...

já me senti como nesse texto. "senti" no passado, mas no futuro devo sentir denovo, não sei. enfim, gostei do blog! chegar em ksa, favorito aqui! bjos

autofágica disse...

seja bem-vindo!
é bom saber que não só eu já
me senti desse jeito!

abraço :*