Indigentes em Sintonia

*Ayalla Anjos e Jeca Doce
(esse poema foi feito ao mesmo tempo sem uma olhar os escritos da outra, ao juntar no final descobrimos estar em intensa sintonia)

- Amores carnívoros,
pensamentos perdidos no asfalto (Ay)
- É uma dor aliviante
de ter pregada à carne
meu próprio ser, de ser
liberdade. (Jec)
- Notas e acordes
roçando o vestido(Ay)
- Quero a pele desse som
no meu corpo.
Os dois num só suor (Jec)
- Farrapo humano,
tua boca me sugando (Ay)
- E que sorriso mais sangrado!
Tanta fome...
de recordar e de advinhar o dia
, e o hoje à noite (Jec)
- Das peles, nas bocas,
no sexo,
meu rastro nas madrugadas (Ay)
- Queria roer as ansiedades alheias...
as minhas são mais alheias ainda (Jec)
- Meu cigarro queimando,
as idéias na fumaça,
o cheiro de sexo...(Ay)
- Eu tenho cancêr.
E só cura na temperatura (ALTA)
do meu corpo
com a ajuda do teu (Jec)
- No meu sono,
os cafés, as madrugadas
e as marcas de corpos abandonados
por puro tédio
ou falta de fantasia (Ay)
- Amor
é uma cápsula protetora aos sentidos.
Sem amor é mais doce,
ou mais amargo (Jec)
- Na tua saliva outros gostos,
mentiras gostosas de ouvir (Ay)
- Dorme no meu pandeiro.
A noite é longa,
você tem munição para o dia inteiro.
Vamos explodir juntos essa bomba. (Jec)

Nenhum comentário: